domingo, 7 de junho de 2015

Ombudsman: “a Folha corre o risco de ficar cada vez mais dispensável”


A jornalista Vera Guimarães Martins, ombudsman da Folha de S. Paulo, usa sua coluna deste domingo 7 para tratar da reformulação do jornal impresso, que perdeu cadernos e ficou mais fino. Ela destaca "raiva, desencanto e perplexidade" de dezenas de leitores e avalia que "não será fácil conciliar consistência informativa e analítica num espaço cada vez mais reduzido". Leia alguns trechos:

Há muita especulação sobre o fim do jornal impresso, e a migração para o digital é um dos cenários à frente — mas não consta que seja para tão já. Nem é certo que ela venha a coroar a morte do impresso. É mais provável que ele continue vivo, servindo a um leitorado menor, que quer ir além da balbúrdia da internet e busca um conteúdo selecionado, com menos assuntos, mas maior profundidade, consistência noticiosa e muita análise.

Esse redesenho até agora não deu as caras. Da lista de intenções traçadas acima, só a redução de conteúdo está em vigor, reclamam com razão os leitores. Os textos estão cada vez mais curtos, e as reportagens se resumem ao arroz-com-feijão disponível na rede. As análises, antes obrigatórias nos temas mais importantes, praticamente sumiram após alguns poucos anos de experimentação.

De acordo com Vera, "o desafio agora é repensar o impresso à luz dessa lógica e com clareza coletiva de propósitos". A jornalista prevê que, "se continuar como está ou não for eficiente na transição da cobertura, a Folha será enxuta, mas corre o risco de ficar cada vez mais dispensável".

No 247


11 comentários:

Pedro jacintho da Silva disse...

A esquerda é tão necessária que até os eventuais sucessos da direita não se devem à direita, mas a ameaça da esquerda virar poder. O texto coloca que a crise de credibilidade da esquerda estimula e da liberdade à direita para a pratica do seu verdadeiro talento, que é produzir desigualdades, logo reverter os ganhos civilizatórios dos últimos anos. No entanto só discordo de uma coisa, a esquerda não está enfraquecida, pois a autora se omite em dizer que quem constrói tal crise é a mídia e seus sócios por uma campanha incessante para desconstruir a esquerda, que no poder, mais que na oposição pode fazer muito mais pelo povo, este é o medo. O que me deixa frustrado em relação aos intelectuais, tais como esta autora do texto abaixo é, mesmo com sua inegável sabedoria se render ao poder midiático ao omitir a capacidade da mesma de produzir e induzir crises ao seu bel prazer. O PT, apesar de seu silêncio revela muito mais sua sabedoria que o falatório da direita e seus veículos midiáticos corriqueiros de propaga-los, pois eles revelam insanidades antes reprimidas por julgá-los oportunos em tal conjuntura, no entanto a cada fala, um tiro no pé, a cada ação, um tiro no pé, a cada votação no congresso, um tiro no pé. Podemos chegar à conclusão que a direita perde pelas suas ações e falas quando se acham livres para dizê-las. Em fim a verdade mata a direita mais facilmente. Antes venciam pela mentira, agora terão que enfrentar um cenário em que para vencer terão que falar a verdade, logo o seu fim. Lembro-me de um dia em que disseram que o capitalismo de então representava o fim da esquerda, portanto a hegemonia da direita. Lamento mas podemos dizer que o capitalismo com tal concepção está com seus dias contados pelo cenário em que a grande mídia corporativa nas mãos dos poderosos tem que conviver com milhões de potenciais propagadores de mentiras, mas também de verdades, no entanto a verdade não é mutável na sua essência já a mentira pode desaparecer e produzir efeitos adversos do que se pretendia e produzir um resultado desastroso para seus autores, revelar suas verdadeiras identidades.

Pedro jacintho da Silva disse...


Entrem neste link:http://www.jb.com.br/opiniao/noticias/2015/06/21/a-chantagem/
Fim este comentário sobre esta opinião do Jornal do Brasil, muito bom editorial.
A opinião deste jornal me faz sentir um cientista político. Por que coisas tão obvias não levam as pessoas de bem deste país que tem poder de persuasão a fazer algo por este país? Por que estão tão quietos e deixando que a mídia corporativa se aliam a verdadeiros gangster para emiti8r opinião contra um governo que claramente fez mais pelo país e pelo seu povo? Por que não criticam severamente o uso das estruturas do judiciário tão descaradamente para produzirem dúvidas perante ao povo da lisura das atividades do governo em vez de combater a corrupção de fato, já que nunca se teve tanta liberdade para tal. A mais de um ano vemos uma tentativa de inviabilizar um governo só porque tem em seus fundamentos econômicos um viés um pouco mais nacionalista. Não importa para esta gente o custo desta empreitada golpista, nem que para isso levem o país ao abismo, afinal, esta claque nunca se importou com isso, pois assim estava quando Lula o tirou da 12ª economia do mundo pra colocá-lo na 7ª como está hoje. Pelo amor de Deus peço aos intelectuais de bem deste país que ajudem este país e a seu povo a se libertar deste carniceiros de nações e deixem seu país em paz seguindo seu trilho natural e chegar finalmente à maturidade a ao protagonismo de suas ações.

Pedro jacintho da Silva disse...


Quem tiver um pouco de curiosidade e ler este texto do link abaixo ficará com a pulga atrás das orelhas em relação ao tipo de acionista da Petrobrás. Os analistas que justificam o sobem e dessem das ações alegam que o motivo da queda de hoje, 23/06, por exemplo, é que a empresa anunciou que fará um corte menor nos investimentos, ou seja, vai investi mais do que se pretendia de acordo com plano de negócios da empresa, não é curioso imaginar que os investidores ficam tristes ou desperançosos quando a empresa da sinal que vai crescer mais ao invés de diminuir? Por outro lado justificam uma esperança ou animação dos acionistas se a Petrobrás perder os 30% que a lei já lhe garante de propriedade das jazidas e de operadora única de todos os blocos, ou seja, se perder a mina de ouro, os acionistas ficariam alegres, logo as ações teriam forte alta. Pergunto a todos será que estes caras acreditam tão facilmente que todos nós brasileiros decentes e honestos somos completamente idiotas? A Petrobras tem acionista ou abutres ou simplesmente laranjas das grandes petrolíferas cujo sonho é torna-la uma mera subsidiária delas. Há de se supor que se a Petrobrás anunciar um lucro recorde para o segundo trimestre deste ano, as ações vão cair, afinal os acionistas, segundo seus analistas teriam ficado tristes, pois assim a Petrobrás ficará muito grande. Meu Deus como é ruim me sentir tão impotente diante de tantos entreguistas e lesa pátrias. Gostaria que o governo federal fizesse sua análise também sobre estes aspectos estranhos à lógica, ora será que é viável para os interesses deste país manter uma empresa como a Petrobrás como de capital aberto diante de tantos carniceiros associados a estes analistas tupiniquins pagos pelos concorrentes para inverter toda a lógica do bom senso?
http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4119541/corte-petrobras-deve-ficar-abaixo-esperado-diz-agencia-acoes-viram

Pedro jacintho da Silva disse...

Pelo que percebo o Brasil está caminhando a passos largos para a vitória dos maiores corruptos que são os entreguistas, onde a corrupção é ainda mais maligna, pois é corrupção onde a grana nem aqui fica, vai direto para os paraísos fiscais multiplicar rendas e empregos em outros países. Simples as multinacionais compram os votos dos parlamentares lesa pátrias tais como a trupe de FHC para aprovar projetos tais como a entrega do pré-sal e com o enfraquecimento da Petrobrás tomam conta das riquezas deste país como sempre aconteceu desde a época de outras fazes de nossa história como a do ouro. Recebe a grana em pagamentos no exterior em contas secretas. Eu pergunto por que nos mantivemos por quinhentos anos a reboque de grandes potências, se sempre fomos privilegiados em recursos que nos tornaríamos mais poderosos que eles. Vou dar um exemplo de um mineral que virou sensação no mundo das tecnologias de ponta, o Nióbio que só tem dois países produtores, o Brasil e o Canadá, agora pasme, o Brasil detém 98% das reservas descobertas até hoje, porém da mesma forma como o ouro, o minério vai, o Nióbio vai e até o Petróleo que jamais pensamos que seríamos um dos maiores produtores também vai se esta trupe de canalhas vencerem. Inacreditavelmente ainda assim com tanta riqueza continuamos a reboque dos outros e nunca protagonista, por quê? O Brasil em 1973 já ocupava a posição de 9ª economia do mundo, pasmem por 29 anos vivemos em crise de desemprego, juros altos e inflação e FMI nos ditando o que fazer, no entanto a pilhagem continuava de vento em poupa, andamos para trás até Lula pegar o país como a 12ª em importância econômica mundial. Lula muda o viés dos fundamentos econômicos e por 12 anos não sabemos o que é FMI ditar o que devemos fazer, inflação dentro da meta, juros ao consumidor abaixo da metade da média histórica, reservas internacionais que eram feitas a custo de empréstimos com o FMI e hoje é nosso devedor. Temos uma reserva de quase 400 bilhões de dólares e os EUA se viram de repente o Brasil como o seu 4ª maior credor. Diante desta realidade não poderia ser diferente somos hoje a 7ª maior economia do mundo. Hoje vivemos uma crise de sabotagem sem precedente justamente para inviabilizar o sucesso deste país, afinal mesmo durante todos os anos de Lula e o primeiro mandato de Dilma as críticas da mídia eram constantes. Números fantásticos da economia eram omitidos e mostrados algumas mazelas históricas com uma ênfase jamais observada, mais para inviabilizar os inúmeros sucessos que propriamente incentivos para corrigir as supostas falhas apontadas. Não eram notícia as quedas nos índices de desemprego ao passo que é uma festa quase como comemoração a queda destes índices. Os jornalistas antes com o sucesso mostravam-se cabisbaixo e hoje com o arrefecimento da crise se mostram frenéticos nas telinhas. Penso que neste país a lógica capitalista é invertida, se ganha com a perda e perde-se com o sucesso, como a matemática é uma ciência exata sabemos que a logica jamais pode ser burlada. O fato é que tem uma casta que ganha com a pobreza de seu próprio povo, pois é sócio de outras freguesias, daí o termo apropriado para entreguistas, uma casta de poderosos que insistem em continuar no poder e enquanto estiverem a pilhagem continuará e portanto a nossa sina de subdesenvolvidos e submissos permanecerá. Pensem nisso povo brasileiro temos que resistir aos entreguistas se quisermos formar uma nação com um capitalismo maduro e mais humano, portanto protagonista de nossos interesses, não precisamos de ser xenófobos, pois isso é doença como qualquer psicopatia, apenas zelosos com nossos interesses para construirmos um povo com mais qualidade de vida.

Pedro jacintho da Silva disse...

Por suas semanas fiz uma observação da análise de mercado sobre o sobe e desce das ações da Petrobrás. Se alguém tiver curiosidade veja que interessante. Pelo que percebi não existem neste país análises sérias e sim posicionamentos dirigidos e bem pagos para interesses bem incompatíveis com a verdade.
Gente olha só que coisa curiosa. Segundo os analistas do sobe e desce das ações da Petrobrás, as mesmas causas que produzem o efeito de subida são também as de queda, não é curioso? Outro dia postei aqui uma destas análises e fiquei intrigado ao afirmarem que se os acionistas não viam com bons olhos o fato da Petrobrás ter como garantia o controle de pelo menos 30% das jazidas e ser a única controladora logo por isso as ações teriam caído. Outro fator que os analistas da mesma forma justificaram a queda da ações naquele dia foi a veiculação do plano de negócios da empresa em que afirmaram que o corte nos investimentos para os próximos anos não seria tão grande como se esperava. Hoje os analistas dizem que a queda até agora no pregão é justamente o que justificaria a subida das ações na semana passada. Em fim Se os investidores dependerem deste idiotas do mercado para se orientarem irão à falência. Se pensarmos pelo lado do bom senso e lógica, se uma empresas diz que vai investir menos, ou que vai perder parte de sua principal matéria prima para os concorrentes, há de se supor que as ações deste empresa já que as mesmas são lastreadas, pelos menos subjetivamente ao seu patrimônio que vão cair e não subir. O fato é que tudo neste país se orienta pela conveniência dos entreguistas a ponto de parecermos uma nação de imbecis, onde inexplicavelmente a mídia sócia desta casta de lesa pátrias tentam nos dizer que devemos ser pequenos, pobres, submissos e cervos da pilhagem internacional. Acho que está na hora de darmos um basta nisso, ou seremos um país capitalista onde nosso povo fica com as benesses das suas riquezas geradas, ou aceitamos passivamente a eterna insignificância dos vira latas.
http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/2015/06/bovespa-cai-de-olho-na-grecia-e-em-cortes-de-investimento-da-petrobras.html
http://m.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4122588/petrobras-estatais-caem-puxam-ibovespa-apos-habeas-corpus-para-lula

Pedro jacintho da Silva disse...

Estive contemplando por algumas horas a respeito desta conjuntura política brasileira e me deparei com uma lógica perigosa acontecendo nos poderes da república deste país. A investigação da Lava Jato está nos mostrando no seu desenrolar que não há mais dívida do caráter político de suas ações. Não poderia ser diferente o comportamento destas estruturas de controle social depois de décadas de governos composto por uma elite de direita, onde todo o processo de ascensão foi preparado para manter a hegemonia desta classe, para constatar esta visão basta lembrarmos um episódio recente da sabatina do novo ministro do STF em que as perguntas direcionadas era se o juiz em questão tinha ligações com movimento sociais organizados, suponha então que não haveria problemas se suas ligações fosse com as classes que as oprimem. Outro caso intrigante é o da PEC da bengala, ou seja impedir que um governo que tem um viés popular possa nomear mais cinco novos ministros do Supremo. Não é interessante que durante todos estes anos de Lula e Dilma tanto a mídia e seus sócios da oposição acusaram estes governos de aparelhamento da máquina estatal, mas por incrível que pareça são vítimas do aparelhamento de anos atrás e mesmo de agora, quando o governo republicanamente não mexeu nestas estruturas para torna-las mais próxima dos interesses, não só das classes mais pobres, mas fundamentalmente dos interesses do país como um todo. Observe a guerra que se faz em relação a uma medida econômica como a lei do conteúdo nacional que obviamente alavancou a indústria naval brasileira e por consequência outras que tenha relação direta e indireta com ela. A questão da lei de partilhas que veio para garantir o controle de um petróleo, onde não se tem risco de investimento, pois é sabido que lá tem petróleo, logo o formato antigo de contrato de risco se mostra absolutamente em prejuízos de nossos interesses, no entanto vivemos numa guerra de desinformação para beneficiar estas multinacionais acostumadas a pilharem as rinques de inúmeras nações pelo mundo, o que explica então, sua eterna condição de subdesenvolvidos, o que é um contrassenso, afinal se tem condições e recursos para tirá-los da pobreza então porque se mantém nela. O que justifica parlamentares defenderem tamanha contradição é a sua pré-disposição à corrupção, pois sem dúvida estas grandes corporações promovem a compra de seus votos no parlamento, deste país e no mundo todo. Por fim chego à resposta sobre o perigo a que este país está correndo com seus dois presidentes de suas casas legislativas estarem na iminência de processos judiciais. Eu pergunto será que este cenário não foi colocado de modo que sofressem pressão e chantagem pelo submundo da política para assumir uma pauta conservadora e entreguista?

Etore Machado disse...

Fuja da crise fuja da globo fabricante do caos virtual

Etore Machado disse...

Fuja da crise fuja da globo fabricante do caos virtual

Etore Machado disse...

Fuja da crise fuja da globo fabricante do caos virtual

Pedro jacintho da Silva disse...

É difícil combater a desinformação quando esta foi colocada em primeiro plano, ou seja, os veículos de comunicação de massa estão disponíveis para a mentira e muito pouco disponíveis para a verdade. Quando vemos alguém falando a verdade, esta parece mentira e por outro lado quando vemos alguém dizendo mentiras estas parecem verdades. Este é o quadro em que nos encontramos, a mentira virou regra e a verdade virou exceção, mas isso não é de hoje é de longas datas. A Mídia brasileira transformou a inversão de valores uma regra absoluta e o resultado disso hoje é termos um parlamento de mais de 70% de achacadores, tendo os chefes destes poderes como bandidos na iminência de processos e não merecem uma crítica, mas a presidente que se tornou refém destes bandidos e mesmo sabendo não ter absolutamente nenhuma evidência que a desabone toda a crítica é direcionado à presidente e ao seu governo para enfraquece-lo ainda mais, mostrando a convergência da mídia e de parte da própria justiça com larápios da república. Se o povo não conseguir evitar a queda deste governo vamos ter algo inimaginável, pois teremos um governo formado literalmente por bandidos na sua essência e ainda se parecendo com homens públicos técnicos e bons gestores por fazer o jogo do mercado global entregando a economia do país a serviço da pilhagem internacional. Aquilo que existia até FHC por mais de 38 anos em que ficamos estáticos como a 12ª economia do mundo e com cerca de 40 milhões de famintos tempo suficiente para provar a ineficácia do entreguismo que nada mais é que corrupção da mais cruel possível, na medida que se trata da compra das consciências dos representantes políticos a peso de ouro pelas grandes corporações empresariais de dentro e de fora refletindo na aprovação de medidas e projetos contrários aos interesses do país. Este modelo perverso foi de certa forma invertido pela eleição de Lula, um projeto popular, logo de interesse do país, de modo que foi criado medidas para alavancar a valorização dos salários e do emprego, medidas de cunho nacionalista como a Lei do Conteúdo nacional que transformou a indústria naval numa das mais vigorosas do mundo, a Lei do Petróleo que garante maior controle de nosso país sobre este mineral. Nestes poucos anos estas medidas provaram serem mais eficientes, afinal hoje já somos a 7ª maior economia do mundo, a quinta maior reserva em dólares do mundo e riscamos o país do mapa mundial da fome, segundo dados da ONU, um dos menores índices de desemprego das séries históricas. Tudo isto pode está sendo colocado em risco se o povo optar por fazer o país voltar para aquele paradigma provado fracassado, uma vez que o vivemos e não gostamos.

Pedro jacintho da Silva disse...

Então quer dizer que Dirceu, Lula e o PT estão sendo punidos pela mídia, justiça e a oposição por terem feito o que os EUA fizeram em toda a sua história e por conta disso é a potência nos dias de hoje? Supostamente se Lula e Dirceu e o governo do PT prejudicassem as empresas brasileiras no exterior seria então elogiável por estes insanos? Como pode atribuir crime onde se tem motivos de elogio por ajudar empresas brasileiras trazerem divisas para o país, levar mão de obras brasileira ao exterior e por conseguinte mais divisas para o país? Não é esse o papel de governantes e de homens públicos e estadistas? Não seria por isso que o país hoje é a 7ª maior economia do mundo e com menos gente passando fome ao invés de ser a 12ª e seu povo com fome? Digam-me, por favor, qual o critério de virtudes para homens públicos neste país, entreguista e lesa pátrias que se convenceram de que devemos ser eternamente serviçais e vassalos do capitalismo mundial? Ou partícipe de um capitalismo em que tenha no seu povo o foco de suas ações no sentido de levarmos o protagonismo de nossas decisões e destinos. É impossível não perceber o caráter desonesto da oposição e de seus sócios da mídia e até da justiça neste país quando se vê na própria acusação uma contradição inaceitável. Se estes golpistas forem vitoriosos neste atentado contra a república posso afirmar-lhes que transformarão este pais numa Ucrânia pelo simples fato de que a impopularidade deste governo foi produzido artificialmente pela abordagem partidária e a omissão em relação os feitos deste governo trabalhista do PT, de modo que um governo de direita agora fará em pouco tempo sua falsa adesão popular cair numa razão inversamente proporcional à recuperação da popularidade de Dilma e do PT, esta sim verdadeira e embasada em fatos reais e cotidianos do povo . Neste cenário certamente tornar-se-á impossível não ocorrer o contra golpe, só que agora com o povo enfurecido, e um povo enfurecido não se tem controle. Espero que se necessário o STF assuma a responsabilidade de mostrar para estes usurpadores e abutres do poder que a democracia veio para ficar e cada vez mais melhorada com o exercício do voto de seu povo e fundamentalmente o respeito a ele.