quinta-feira, 24 de abril de 2014

Batata de 'O Globo' assa com manchete falsa. Jurídico da Petrobras precisa ir pra cima.


O jornalão "O Globo" impresso de madrugada e que foi para as bancas estampou a manchete falsa: "Escândalo de Pasadena: Auditoria descobre saque de US$ 10 milhões sem registro".

É falsa porque registro é posterior ao próprio saque, e a reportagem descreve outra coisa.

Saque sem registro é sinônimo de desfalque ou de caixa dois ou algo parecido. Uma acusação gravíssima, que o próprio texto da reportagem desmente.

Horas depois, o jornalão deve ter sentido que pesou a mão ao fazer campanha política demotucana e já suavizou o título no site na internet para evitar processos. A Manchete passou a ser "Auditoria mostra que US$ 10 milhões saíram de conta de Pasadena com autorização verbal".

Autorização verbal de um saque nada tem a ver com "sem registro". Com certeza há registros contábeis e financeiros nos próprios extratos.

Até você pode autorizar verbalmente um resgate no seu banco da poupança para a conta corrente por telefone, e ele estará registrado em seu extrato.

Aí vamos ao texto da reportagem e encontramos essa pérola:
O pente-fino da Gerência de Auditoria de Abastecimento da Petrobras revelou a existência de um saque de US$ 10 milhões em 5 de fevereiro de 2010, sem documento que o autorizasse.
(...)
O relatório de auditoria sobre o estoque de óleo é o R-1111/2010, elaborado pela Gerência de Auditoria de Abastecimento, com data de 29 de março de 2011. O episódio do saque está descrito no item 3: “Falta de autorização documental para saque em corretora”. Os US$ 10 milhões foram retirados da conta da refinaria numa corretora, a MF Global, que entrou com pedido de falência em 2011.
Vamos desenhar:

5-fev-2010: O financeiro da refinaria manda resgatar uma aplicação do dinheiro da empresa aplicado em uma Corretora de Valores (instituição financeira regulamentada). A ordem foi verbal. Não tenho acesso aos documentos, mas aposto que o tal saque foi uma transferência de fundos da Corretora para uma conta bancária (ou semelhante) da Refinaria. Pois não tem como sumir com US$ 10 milhões nos Estados Unidos sem receber uma visita da Receita Federal e do FBI de lá.

2011: A tal corretora MF Global foi à falência. Ou seja, se a Refinaria não tivesse resgatado a aplicação, aí sim os US$ 10 milhões teriam ido para o vinagre e seria motivo para abrir uma investigação seríssima. Quem mandou resgatar, pelo menos pelo que descreve a reportagem, fez a coisa certa.

O que a auditoria diz, segundo a reportagem, é apenas que
“A falta de documentação prejudica o controle e acompanhamento de transações (...) A autorização verbal, conforme informação da unidade, não encontra amparo em norma interna nem nas boas práticas de controle interno”.
.
Os auditores recomendam, então, que a gestão da refinaria de Pasadena passe a formalizar e arquivar a documentação referente aos saques feitos em contas mantidas em corretoras. Conforme a resposta da PRSI, incluída no relatório, ficou acordado com a área financeira que não haveria mais “nenhuma autorização de pagamento ou movimentação financeira de forma verbal”.
Segundo a própria reportagem, não há qualquer menção a desvio de dinheiro, nem desfalque, nem nada parecido. Só reclama da falta de documentar por escrito as autorizações de resgate de aplicações em corretoras. Em nenhum momento fala que tais saques não aparecem nos extratos. E, com certeza, estão nos registros contábeis, senão a auditoria teria que apontar isso. Aliás se o "saque" não estivesse nos registros contábeis e financeiros, a auditoria nem saberia que houve o saque. Primeiro daria falta do dinheiro no saldo da empresa.

O Globo está apenas criando factóides sem importância nenhuma e dando assunto para a oposição seguir na estratégia eleitoral de "sangramento" da presidenta Dilma.

Na verdade, para o leitor que não é tolo, a leitura da reportagem é a seguinte: o Globo teve acesso a uma auditoria de 29 de março de 2011, procurou, procurou e não encontrou nada que mereça atenção.

O tratamento que a imprensa vem dando a Petrobras já ultrapassou os limites políticos. A Petrobras é uma empresa estatal mista, que também tem ações negociadas no mercado, tem uma marca de 60 anos a zelar, e uma gestão técnica tem obrigação de acionar o Departamento Jurídico para exigir direito de resposta exemplar diante de difamações e molecagens. Conforme o caso, cabe também processo de indenização.

Vê se esses jornalões e TV's fazem molecagem com marcas famosas de refrigerantes, de cerveja, de carros, de bancos privados quando há alguma notícia negativa sobre estas empresas. Tomam o maior cuidado, isso quando falam alguma coisa. É porque sabem que falar sem provar provoca indenizações milionárias por danos e outras sanções civis e criminais. Pois a Petrobras tem agir como estas outras empresas.

Outras molecagens jornalísticas do jornalão:

No subtítulo, a denúncia do doleiro Youssef e mais seis não teve ligação com a Petrobras e muito menos com Pasadena para estar ali como subtítulo. O mesmo ocorre com o deputado André Vargas. Nem nos grampos divulgados tem qualquer menção à qualquer coisa envolvendo a Petrobras, pelo menos até agora.

Millenium: o mapa da mídia


24 de abril de 2014 | 08:30 Autor: Fernando Brito
milleniummapa
Meu bom amigo Antonio Mello, depois de um tempo de recarga de energia, reativa seu blog em grande estilo, com um precioso mapa das conexões do Instituto Millenium, núcleo de interferência da direita e do grande capital na mídia brasileira.
(Dentro do post há uma versão clicável, que se amplia.)
Por mais que a gente saiba das ramificações empresariais e midiáticas deste think tank conservador, impressiona o volume e a interconexão entre eles.
O mais curioso é que o Ibad do século 21, com todos os seus altares liberais ainda funciona, em parte, com dinheiro público, porque as doações que recebe para investir contra o Estado são dedutíveis do Imposto de Renda, à medida em que é classificada como Organização de Interesse Público.
Mas, claro, tudo ali é “limpinho”, exceto o Brasil, que é um traste. Nós é que somos os blogueiros “sujos”, financiados com verba pública, mesmo que dela não receba um centavo.

millenium2

Mídia corporativa e Instituto Millenium, aliados dos EUA, usam
‘indignados úteis’ para transformar o Brasil numa nova Venezuela

Antonio Mello
Quando se fala em Lei de Meios; quando se faz o programa Mais Médicos trazendo médicos do exterior, em sua grande maioria de Cuba, para realizar trabalhos em áreas em que nossos médicos brasileiros se recusam a trabalhar; quando se participa ativamente do Mercosul e se toma atitudes independentes dos EUA, como a crítica severa – o verdadeiro pito – que a presidenta Dilma passou no presidente Obama, a respeito da espionagem estadunidense; quando o governo age desse modo, a mídia corporativa o acusa de estar “Venezuelando” o Brasil.
Mas quem está querendo transformar o Brasil numa Venezuela (não no que o chavismo e a revolução bolivariana trouxeram de positivo para aquele país – fim do analfabetismo, assistência médica, participação popular no governo, fim da subserviência aos EUA ), quem está querendo fazer a venezuelização do Brasil é a mídia corporativa, que estimula diariamente o preconceito – evidenciado na reação dos médicos brasileiros à importação de estrangeiros pelo programa Mais Médicos -, a ocupação dos antigos espaços nobres pelos emergentes, essa “gente diferenciada” que tomou de vez aeroportos, shoppings, restaurantes, antes frequentados apenas pelos que em geral têm como medida de suas vidas os EUA, e que hoje se ressentem da dificuldade de encontrar mão de obra barata, ou até em condições análogas à de escravidão…
A partir do Instituto Millenium, eles estão montando seus exércitos com pistoleiros, antigos e recém recrutados (não vou citar nomes, pois todos sabem quem são eles) para diariamente disparar contra o governo.
Basta visitar a página de comentários de qualquer um desses recrutas, soldados ou oficiais do porcalismo (palavra divulgada por este blog – sorry, o diabo é sábio não porque é diabo, mas porque é velho…) vendidos para ver o efeito devastador que causam na cabeça daqueles que chamo, desde 2005, de “indignados úteis” (leia abaixo postagem de 2006 sobre eles), zumbis ressentidos, que se alimentam de ódio e recalque diante do empoderamento de milhões de brasileiros.
Continue lendo no Blog do Mello

Do Blog TIJOLAÇO.

Petrobras e a capa da revista Época

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:
O neojornalismo atual surgiu na revista Veja e foi seguido pela Folha a partir de meados dos anos 80. No meu livro “O jornalismo dos anos 90” analiso em detalhes esse estilo.
Trata-se de um produto típico dos grupos de mídia, onde se misturam alguns recursos jornalísticos, recursos de dramaturgia e de marketing. É o chamado show da notícia, com muito mais show do que notícia.
Consiste em levantar uma ou duas informações verdadeiras – mesmo que irrelevantes – e montar uma roteirização copiada da dramaturgia, misturando fatos inexistentes, meras deduções ou ficção pura, tudo devidamente embrulhando em um estilo subliterário típico dos tabloides. Depois, confere-se o tratamento publicitário adequado nas manchetes chamativas e no lead – em geral prometendo muito mais do que a reportagem entrega.
Esse estilo torto atingiu o auge nos escândalos produzidos entre 2006 e a campanha de 2010, como a invasão das Farcs no Brasil, os dólares transportados em garrafas de rum, o consultor respeitado que acabara de sair da cadeia, os 200 mil dólares levados em envelopes até uma sala do Planalto, o consultor que almoçou com Erenice e foi impedido até de levar caneta, para não gravar a conversa e aí por diante.
O caso Época
A capa da revista Época desta semana, no entanto, merece uma análise de caso à parte.
Em publicações respeitadas, separa-se a pauta do conteúdo publicado. A redação recebe dicas, denúncias, indícios. Aí prepara a pauta, que é o roteiro de investigações. O repórter sai a campo e procura fatos e testemunhas que comprovem ou desmintam as informações recebidas. E só publica o que é comprovável.
O jornalismo brasileiro contemporâneo desenvolveu um estilo preguiçoso. O repórter recebe as denúncias. Em vez de sair a campo e apurar, limita-se a publicar a pauta com o desmentido do acusado, sem apresentar nenhuma conclusão sobre se o fato relatado é verídico ou não.
A reportagem da Época tem 31.354 caracteres e segue esse procedimento. É bombástica. Na capa, vale-se da linguagem publicitária para vender um peixe graúdo. O leitor abre a revista e, de cara, depara-se com páginas e páginas recheada de fotos.
Quando vai a fundo na reportagem, encontra uma única informação relevante: o parecer do terceiro escalão do jurídico da Petrobras, recomendando não questionar na Justiça o resultado da câmara de arbitragem – que fixou o valor a ser pago pela Petrobras pelos 50% da Astra. Apenas isso.
É muito menos do que outras publicações vêm levantando no decorrer da semana. Uma informação que cabe em um parágrafo foi transformada em reportagem de várias páginas através dos seguintes recursos:
1. 8% do material descreve o uniforme da Petrobrás usado por Dilma Rousseff no lançamento do navio Dragão do Mar. Sobram 92%.
2. 21% é sobre a tentativa da Brasilinvest de se associar a Paulo Roberto Costa. No final do enorme calhau, fica-se sabendo que não houve associação nenhuma. Então para quê falar de algo que não aconteceu? Fica a informação falsa de que o Brasilinvest - que não tem nenhuma expressão no mercado -, é um dos maiores bancos de investimento brasileiro e que tentou fazer negócios em Cuba. Sobram 71%.
3. 5% é sobre um advogado que teria feito lobby para a Petrosul junto à Transpetro. No final do calhau tem a palavra dele, negando qualquer trabalho, e da Transpetro, negando qualquer medida. E nenhuma conclusão do repórter. Sobram 66%.
4. 11% do texto é sobre a compra da refinaria na Argentina. Joga-se no papel um amontoado de informações passadas pela Polícia Federal e recolhidas no São Google, sem uma análise, sem uma apuração adicional, sem uma conclusão sequer. Sobram 56%.
5. 6% do texto explica em linhas gerais o suposto escândalo Pasadena. É importante para contextualizar a questão, mas inteiramente feito em cima de informações públicas. Sobram 49%.
6. 15% para descrever uma lista encontrada com o doleiro Alberto Yousseff sem pescar uma informação relevante sequer. Sobram 35%.
7. 4% descreve a pendência judicial da Petrobras com a Astra, já divulgada pela mídia, sem nenhuma informação adicional. Sobram 31%.
8. 7% é dedicado para o parecer de técnicos do jurídico recomendando não questionar a decisão da câmara de arbitragem na Justiça. É a única informação nova da matéria. O “furo” poderia ser dada usando 1% do espaço. Sobram 23%.
9. 23% para informar (com base em fontes em off) que a Astra queria a todo custo um acordo com a Petrobras. E atribui a decisão de ir para o pau ao então presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Mas qual o motivo? Como advogados ganharam honorários com a ação, logo o motivo foi montar uma jogada com os advogados. Simples, não? Todas essas afirmações baseadas em suposições, ilações sem um reforço sequer em fatos ou em fontes em on. Em entrevista a veículos da Globo, o ex-Diretor de Gás Ildo Sauer – presente nas reuniões – afirmou que a diretoria executiva queria o acordo mas o Conselho recusou devido ao que se considerou arrogância dos executivos da Astra. As informações são desconsideradas, membros do CA não são ouvidos. Limitam-se a mencionar fontes em off para falar da simpatia e boa vontade dos executivos da Astra.
O leitor mais atilado fica com a sensação de ter comprado gato por lebre.

A transcrição do telefonema de José Dirceu, da Papuda, para a Presidenta Dilma Rousseff, no gabinete presidencial do Palácio do Planalto

Grampo sem áudio do Conversa Afiada:

(Som de gravação – “esta é uma chamada a cobrar. Quando ouvir a identificação, desligue, se não quiser atender”).
José Dirceu – Olá, Dilma, aqui é o Dirceu.
Dilma Rousseff – Fala, Zé ! Tudo bem por aí ?
- Tudo ótimo, Estela. Não podia estar melhor !
- Tão te tratando bem aí ?
- Estela, me sinto no Península de Hong-Kong…
- Como assim ?
- Menina, tenho jacuzzi com gueixas tailandesas …
- Não são gueixas japonesas ?
- Não, Estela, aqui na Papuda são tailandesas…. Lençol de linho egípcio, vinho francês de primeira. O piorzinho é o Pera Manca …
- Quem leva o vinho ?
- O Ricardo Sergio. E, você sabe, a adega dele só não é melhor do que a do Galvão Bueno.
- Gente fina é outra coisa ! E a alimentação ?
-  Vem tudo do Fasano. Espetacular.
- Pensei que fosse da casa do João Dória.
- Não, Estela, isso é pra tucano chic. Eu não passo de um petista…
- Nós, né, Zé ?
- Claro !
- Tá sentindo falta do Delúbio, do João Paulo, do Genoino…
- Muito. Nós tínhamos até planejado roubar o cofre do Gilmar …
- Do Ademar ? De novo ?
- Não, Estela ! Do Gilmar !
- Ah ! Não quero nem saber o que tem lá dentro.
- Não, eu desisti. Sem eles a operação não teria sentido. Era pra pegar a grana e dar pro PT …
- Tem televisão aí, Zé ?
- Tem, mas tem um problema. O Agnelo não comprou Bom-Bril para a antena e a gente vê o jornal nacional sem som.
- Quem bom ! E dá pra perceber o noticiário do Kamel ?
- Claro ! Eles só mostram desgraças, cenas de sangue, barbárie  e violência no Cairo, Bagdá, Karachi, Kabul, na Faixa de Gaza. Uma miséria. O mundo está à beira do caos.
- O que é que você está lendo ?
- As obras completas do Fernando Henrique.
- Ninguém merece, Zé.
- Pois é, Estela. Mas, você sabe que estou até achando bom …
- Você pirou aí dentro. Nem o Cerra leu isso !
- Não ! Veja bem. Quando caiu o crime de quadrilha, o Barbosa  resolveu me dar uma pena adicional: ler as obras do FHC … Ele foi ou não foi generoso ?
- De fato. Podia te mandar sentar na cadeira do dragão …
- E não mandou ! Devo ou não devo estar agradecido ?
- Sem dúvida, Zé. Você sabe que a cada dia que passa simpatizo mais com o Barbosa ?
- Eu também, Estela. Tem um coração enorme !
- Claro, Zé, você sabe que ele é mineiro, né ?
- Claro, como você e eu.
- Então, gente conciliadora, gentil, generosa.
- E se o Nelson Rodrigues tiver razão, Estela ?
- O que tem o Nelson Rodrigues, Zé ?
- Não foi ele quem disse que mineiro só é solidário no câncer ?
Nesse ponto, caiu a ligação.


Dilma: "o Marco Civil nos coloca na vanguarda"

"Presidente Dilma Rousseff fala agora, ao vivo, pela página do Palácio do Planalto no Facebook, sobre o impacto da aprovação do novo marco civil na internet; "Há uma opinião unânime entre especialistas e usuários da internet em todo o mundo que a aprovação do #MarcoCivil pelo Congresso brasileiro foi um avanço histórico", escreveu a presidente, respondendo a perguntas de internautas; segundo ela, o marco civil, "sem sombra de dúvida, é a legislação mais avançada no mundo" na área "e nos coloca na vanguarda na proteção dos direitos dos usuários da internet e na garantia de que o usuário brasileiro tem e terá o direito de acessar, a partir de agora, qualquer conteúdo"; Dilma lembra que a lei, sancionada ontem, "assegura a liberdade de expressão, a privacidade e o respeito aos direitos humanos"

Brasil 247

 A presidente Dilma Rousseff participa, neste momento, de uma entrevista coletiva a internautas, sobre o novo marco civil da internet, aprovado na terça-feira pelo Senado e sancionado ontem por ela no encontro NetMundial, que reuniu representantes de 80 países em São Paulo. A lei garante a neutralidade da rede e a privacidade dos usuários. O "Face to face com Dilma" está sendo realizado na página do Palácio do Planalto no Facebook.

Participe aqui e confira abaixo algumas posições da presidente:

- O #MarcoCivil nos coloca na vanguarda, na proteção dos direitos dos usuários da internet e na garantia de que o usuário brasileiro tem e terá o direito de acessar, a partir de agora, qualquer conteúdo. É bom lembrar um ponto importante do Marco Civil, que é a aplicação da legislação brasileira. A partir de agora, qualquer dado coletado no Brasil, pouco importando se por empresa brasileira ou estrangeira está sujeito a legislação brasileira. Com isso se assegura a soberania da legislação sobre os dados coletados e se protege o consumidor nacional.

Ao bajular Globo, Eduardo Campos obrigou pernambucanos a pagarem R$ 50 milhões para ONG do Roberto Marinho

Do Blog: Amigos do Presidente Lula

"Quando governou Pernambuco, Eduardo Campos (PSB-PE) pagou R$ 49,5 milhões para a Fundação Roberto Marinho, ONG criada pelos donos da TV Globo. Tudo com dispensa de licitação.

Seguindo o caminho do dinheiro nas contas no governo Pernambucano, os gastos anuais foram:

2008: R$ 3.109.785,46
2009: R$ 8.052.310,00
2010: R$ 9.527.646,00
2011: R$ 6.579.083,00
2012: R$ 9.592.700,00
2013: R$ 9.653.678,00

2014: R$ 2.963.375,00 (até o início deste ano)

Total: R$ 49.478.577,46

Não é a toa que as organizações Globo e o Merval Pereira apoiam tanto Aécio Neves como Eduardo Campos, qualquer um.

O pior é que quase todo esse dinheiro saiu da Secretaria de Educação. Enquanto isso os professores pernambucanos reclamam do ex-governador não ter cumprido as promessas que fez.

Dilma marca um golaço: responde ao vivo perguntas sobre o Marco Civil da Internet.

A presidenta Dilma conversa diretamente com internautas em seu facebook sobre o Marco Civil da Internet neste link:

https://www.facebook.com/PalacioDoPlanalto/posts/385358621602010?relevant_count=1

Em tempo: E o Aécio queria ficar "cozinhando" o Marco Civil por mais três anos só ali nos gabinetes dos senadores, onde os barões das teles gostam de conversar a portas fechadas.

50 dias para a Copa, 50 benefícios.

A 50 dias de a bola rolar para Brasil x Croácia, na primeira das 64 partidas da Copa do Mundo, o Portal da Copa reuniu uma série de informações que detalham os investimentos feitos em várias frentes para o Brasil receber o Mundial. Investimentos que transcendem, e muito, a construção e reforma das 12 arenas. Envolvem infraestrutura turística, aeroportos, mobilidade urbana, terminais de passageiros em portos e estrutura em segurança que ficará para as cidades-sede. Também incluem qualificação profissional, incentivo ao voluntariado e promoção do artesanato e de eventos culturais com valorização da cultura nacional. Em outra frente, mexe com a economia, antecipa investimentos em telecomunicações, gera empregos em diversos setores e implementa novos padrões de sustentabilidade em obras. Confira:
1. Mais turistas
A Copa aumenta a visibilidade do Brasil e atrai milhares de turistas estrangeiros.
2. Mais turistas gastando mais
Estudo da Embratur mostra que os gastos dos turistas brasileiros e estrangeiros durante a Copa devem chegar a R$ 25,2 bilhões em todo país.
3. Mais estrutura para os turistas
R$ 196 milhões estão sendo investidos em infraestrutura turísticas nas cidades-sede: novos Centros de Atendimento ao Turista, mais sinalização e acessibilidade que ficarão para o país.
4. Mais infraestrutura
A Copa antecipa investimentos em infraestrutura necessários para o Brasil.
5. Melhorias no país
Os investimentos são em mobilidade urbana, portos, aeroportos, estádios, segurança, telecomunicações e turismo.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Globo perde 35% da audiência

Da Folha

"(…)Em 2004, a média diária da Globo (das 7h à meia-noite) era de 21,7 pontos em São Paulo. O SBT tinha a vice-liderança, com 8,4 pontos, e a Record registrava 4,2 pontos. Cada ponto equivale a 65 mil domicílios na Grande SP.

Em 2014, os números parciais, dos primeiros meses do ano, trazem a Globo com média diária de 13,8 pontos, uma perda de 35% de público. A Record registra 6 pontos, e o SBT, 5. (…)"

Mais um tiro no pé do Aécio: expôs suas 61 faltas ao trabalho no Senado.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deu dois tiros no pé ao querer desqualificar o senador Lindberg Farias (PT-RJ), na sessão de terça-feira (22).

O primeiro foi desagradar 100 milhões de internautas, ao tentar emperrar o Marco Civil da Internet.

O segundo foi jogar uma luz sobre o número absurdo de faltas ao trabalho no Senado.

Aécio tentou ficou sem argumentos, depois que foi desmascarado por Lindberg, quis agredir com desqualificações dizendo que o Lindberg teria chegado atrasado na sessão.

Lindberg rebateu explicando que enquanto ele é um dos senadores mais assíduos, Aécio tem um número de faltas elevado.

Segundo levantamento do site Congresso em Foco, nos anos de 2011, 2012 e 2013, Aécio já faltou ao trabalho no Senador durante 61 dias. E Lindberg de fato é um dos mais presentes. Foi o sétimo senador mais assíduo de 2013.

Para Aécio, seria melhor ter faltado mais um dia na terça para escapar desse vexame.

AÉCIO NEVES FICA COM A MARCA DE GAZETEIRO NA SESSÃO DE APROVAÇÃO DO MARCO CIVIL DA INTERNET - FOTOS E VÍDEOS


SENADOR LINDBERGH FARIA DIZ QUE O TUCANO É UM FALTOSO E NÃO TEM MORAL PARA COBRAR PRESENÇA DE NINGUÉM NO CONGRESSO NACIONAL

O MARCO CIVIL DA INTERNET FOI APROVADO ontem (LEIA AQUI), em uma sessão bastante tumultuada no Senado Federal. A oposição queria postergar a aprovação, mas acabou vencida. Um grande BATE BOCA entre Aécio Neves e Lindbergh Faria encerrou o debate sobre o assunto, que foi à votação para ser aprovado sem emendas, seguindo agora para a sanção presidencial. O TEXTO aprovado é o que contempla a vontade do GOVERNO, defendendo a NEUTRALIDADE da INTERNET.

O Senador Aécio Neves (PSDB-MG), que com a proximidade das eleições não está mais emendando FERIADÕES no Rio de Janeiro, estava presente à sessão, e tentou liderar o movimento de adiamento da aprovação do MARCO CIVIL. Rebatido e criticado por sua iniciativa pelo Senador Lindbergh Faria (PT-RJ), Aécio disse que o Senador carioca tinha chegado "atrasado". Recebeu como resposta de Lindbergh, que sendo ele (AÉCIO NEVES) um dos mais ausentes e faltosos ao Senado Federal, não tinha condição moral de cobrar a presença de ninguém.


O clima esquentou, Aécio ficou enfurecido, tentou impedir a fala do oponente aos gritos, trouxe o processo que Lindbergh responde no STF para a discussão, e ainda contou com a "ajuda" do SURREAL Senador Mario do Couto (PSDB), que DEDO EM RISTE, partiu para cima de Lindbergh, que, com bastante BOM SENSO diante da atitude do TUCANO, um IDOSO destemperado e arrogante, colocou as mãos para trás evitando assim um confronto físico.

FIM DA SESSÃO, com MARCO CIVIL APROVADO e a MARCA de GAZETEIRO COLADA EM AÉCIO NEVES

Lula recebe 27º título de doutor honoris causa

O ex-presidente Lula ganhou nesta quarta-feira o título de doutor honoris causa da Universidade de Salamanca, na Espanha. O título é o 27ª honoris causa recebida por Lula. "A instituição te honra, e você, presidente, honra esta universidade", disse o professor-padrinho Gonzalo Gomez Dacal, titular de educação que foi o patrono da escolha do ex-presidente para ganhar a distinção em educação e filologia, pelo desempenho do governo em divulgar a língua espanhola, adotada no ensino do Brasil.

De acordo com o Instituto Lula, no pronunciamento, o ex-presidente discursou sobre a emoção de ganhar a denominação honorífica de uma instituição de ensino superior "tão tradicional", com quase oito séculos, e de como o Brasil tem nos últimos 11 anos trabalhado para crescer no ensino, depois de "séculos de atraso", com projetos como o Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), que aumentaram o ingresso dos alunos na educação de terceiro grau. "Tivemos de enfrentar o preconceito das elites, que nunca confiaram na capacidade do povo brasileiro", afirmou o ex-presidente.

MÍRIAM LEITÃO COMPROVA QUE PETROBRAS VALORIZOU MUITO ADMINISTRADA PELOS GOVERNOS DO PT

MATÉRIA PUBLICADA - 13h27min. -  ATUALIZADA - 16h15horas

COLUNISTA DE O GLOBO USA MÁQUINA DE CALCULAR, E RESULTADO DA CONTA É: PETROBRAS VALE MUITO MAIS HOJE.
EU ADORO MATEMÁTICA
PRESTE ATENÇÃO NESSE TEXTO E NOS NÚMEROS APRESENTADOS NA COLUNA DE MÍRIAM LEITÃO (MARCADO NA COR AZUL) - FATOS E DADOS-22/04/2014
..."A Petrobras deu um salto. De acordo com o ranking internacional da Forbes, a cotação da empresa, que estava na casa de US$ 3 em 2002, chegou a US$ 62 em 2008. O mesmíssimo aconteceu com outras grandes do setor. A inglesa BP saltou de US$ 27 para US$ 55. A francesa Total subiu de US$ 19 para US$ 56. A americana Chevron foi de US$ 29 para US$ 81, apenas para citar três exemplos".

CONCLUSÃO DO BLOG
PRIMEIRA CONCLUSÃO: Em 2002 a Petrobras valia infinitamente menos do que as demais empresas de Petróleo no mundo. Valia, aproximadamente 10% da CHEVRON e BP e 15% da TOTAL.

SEGUNDA CONCLUSÃO: Entre 2002 e 2008 - Primeiro mandato completo de Lula, e dois anos do seu segundo mandato, a Petrobras valorizou MAIS DE 20 VEZES, indo de US$ 3 para US$ 62, superando inclusive o valor das outras empresas que subiram: BP dobrou sua valorização e foi para US$ 55 - TOTAL TRIPLICOU, indo para US$ 56 e CHEVRON cresceu 2,5 vezes, a US$ 81.

TERCEIRA CONCLUSÃO: O Desempenho da PETROBRAS foi estupendo, muito superior ao das outras empresas, e mesmo depois de o mercado internacional ter apresentado a reviravolta de 2009, a PETROBRAS continua com um índice de valorização altíssimo.  


VEJAMOS O QUE MAIS DIZ DONA MÍRIAM

..."Com o estouro da crise americana, todas as petrolíferas tiveram quedas, assim como o barril de petróleo. Passado o pior momento, no entanto, a recuperação foi generalizada. Menos da Petrobras.

O preço médio do barril WTI caiu de US$ 99,5, em 2008, para US$ 61,6 em 2009. Voltou a US$ 97,9 em 2013. O movimento das empresas foi o mesmo. A BP teve queda de US$ 55 para US$ 31, entre 2008 e 2009, mas voltou para US$ 48 este ano. A Total tem o preço de ação hoje mais alto do que no auge de 2008: US$ 63. A Chevron também: a ação vale US$ 124. Muito acima do pico de 2008.

As ações da Petrobras despencaram nos últimos anos e estão na casa de US$ 14, longe do pico de US$ 62 de 2008".

QUARTA CONCLUSÃO: Se as ações da Petrobras tivessem lá atrás acompanhado a média de valorização das empresas de petróleo citadas, ela teria ido de US$ 3 para no máximo US$ 9, e hoje valendo US$ 14 (?) ainda estariam comparativamente muito bem.

QUINTA CONCLUSÃO: A Petrobras não tem como finalidade principal remunerar seus 100 MIL acionistas, ela tem como objetivo e missão, trazer riqueza, gerar riqueza, desenvolvimento, para 200 MILHÕES de Brasileiros. Ou seja, muito diferente do que visam as outras empresas, que tem no LUCRO sua razão de ser, sem compromissos sociais ou de apoio ao desenvolvimento dos seus respectivos países de origem.

SEXTA E ÚLTIMA CONCLUSÃO: Dona Míriam não gosta nem um pouquinho do PT e de seus governos e raciocina assim: Quando a PETROBRAS valoriza fica por conta de conjunturas externas, quando cai é por ser mal administrada. Dona Míriam também parece que não sabe fazer conta, e muito menos interpretar a economia especial e talvez singular do Brasil.

COMPLEMENTO - LEITOR LEMBRA (Split) DESDOBRAMENTO DE AÇÕES EM 2008
Anônimo disse...
Corrija sua matéria que a imagem do desempenho da Petrobras vai ficar ainda melhor. Em 2008, houve "Split" das ações da Petrobras. Ou seja, cada ação virou duas ações. Para manter os termos da comparação, você deve DOBRAR o valor atual das ações OU DIVIDIR por 2 o valor das ações até 2008.

FOMOS ATRÁS DA INFORMAÇÃO
VALOR ONLINE
Publicado:24/03/08 - 0h00

SÃO PAULO - A Petrobras informou em comunicado que foi aprovado hoje, em Assembléia Geral Extraordinária, o desdobramento das ações da empresa na razão de 1 para 2. Desta forma, para cada ação da empresa, o acionista receberá gratuitamente outro papel, da mesma espécie. O mesmo ocorrerá com os ADRs da companhia negociados em Nova York.

De acordo com deliberação da assembléia, será usada como base para o desdobramento a posição acionária do dia 25 de abril deste ano.

A última vez que a Petrobras realizou um desdobramento de ações foi em setembro de 2005.

Geralmente as empresas desdobram suas ações para diluir o valor unitário do papel e, assim, aumentar a liquidez dos negócios em bolsa.

(Valor Online)