sexta-feira, 27 de junho de 2014

Luciano Huck, Eduardo Bueno e o limite da arrogância estúpida

Renato Rovai, Blog do Rovai

 "O empresário travestido de apresentador Luciano Huck e o jornalista travestido de historiador, Eduardo Bueno, foram protagonistas de dois momentos bizarros nos últimos dias. Peninha, como Bueno é conhecido no meio, chamou o Nordeste de “aquela bosta”. Veja vídeo aqui. E Huck colocou no Twitter e no Facebook um pedindo de “currículos” de garotas que quisessem ficar com gringos.




Ambos foram além do limite da estupidez. Um foi preconceituoso e xenófobo, estimulando o pior dos ódios da elite tosca do sul e sudeste. E outro se comportou como um machista de quinta, reforçando o estereótipo de que a mulher brasileira é uma mercadoria para exploração e exportação.
O pior, porém, foi o dia seguinte. Como ambos têm algum espaço midiático e circulam por ambientes onde tudo que é feito pelos pares é permitido e compreensível, ao invés de pedirem desculpas pelas suas atitudes, fizeram ao contrário. Atacaram aqueles que os criticaram.
Peninha chegou ao limite de dizer que estava “cagando” para os internautas que protestaram. E os chamou de “idiotas” e “bando de babacas”. E ainda contou com a atriz travestida de mediadora de mesa redonda, Maitê Proença, para dizer que “essa gente é de uma leviandade”. Assistam ao vídeo aqui.
A questão é que essa turma estava acostumada a fazer o que bem entendesse e ficar não só impune, como independente do que vierem a fazer ser sempre tratada na base do tapinha nas costas. Eles tinham o passaporte da impunidade. Nunca eram criticados e nem questionados.
Com o advento da internet e a democratização da opinião e da fala, bizarrices como essa não passam batidas. E aí, a reação típica é a que você pode assistir na fala de Peninha e de Maitê. É xingamento contra “o bando de babacas” e contra os “levianos”. Maitê ainda teve o desplante de dizer que o pessoal não entendeu o espírito do programa. Claro que não. Ninguém em sã consciência poderia entender que uma concessão de TV seria utilizada para chamar de bosta uma importante região do país.
Esse povo é movido a arrogância. E essa arrogância, mesmo não sendo um plano de celular, parece ser ilimitada. Mas ao mesmo tempo estão ficando cada vez menores. Até porque cada vez fica mais evidente o tamanho da idiotice de cada um deles. E se a arrogância não tem limites, a idiotice é oceânica.

Luciano retirou o post de seu Facebook, mas a indignação se espalhou na rede e teve início a campanha #nãomeajudaluciano."

2 comentários:

Edna Dias disse...

O programa EXTRA ordinários da Sportv é uma ofensa à inteligência do espectador, será que eles não entenderam que juntar quatro idiotas na andropausa a uma loura menopáusica (que pode ser substituída por outra qualquer, desde que sejam louras e burras, como elas mesmas defendem), transferir os seus papos de botequim sem graça nenhuma (a não ser para eles), em rede nacional, para dizerem asneiras nonsense, era tudo que o Brasil queria e precisava em termos de entretenimento em tempos de Copa do Mundo? É muita arrogância ou ingenuidade. Minha gente, estamos assistindo a um dos maiores espetáculos do esporte mundial, a COPA DO MUNDO e no Brasil!!!!!! Quem precisa desses EXTRA chatos e ordinários? No último programa, o ex-casseta Claudio Manoel, disse que as redes sociais são a nova mídia e tem toda razão (só não notou que já faz tempo, muito tempo) já se foi o tempo em que éramos apenas telespectadores, hoje interagimos e bem. Nas redes rola de tudo, lê quem quer e o que quer - uma forma bem mais democrática de comunicação. Em falar em leitura, muito me admira ver um jornalista, com complexo de historiador, viver fazendo as contas dos livros que leu, como um grande feito! Um vovô de mais de 50 anos de idade....peninha dele, se expondo. Um escritor mequetrefe que sugou as pesquisas de Câmara Cascudo para se dar bem (vender livro) e não convencer a ninguém da sua qualidade literária, pasmem, nem a ele mesmo... Quá! As atitudes desastrosas dos integrantes deste negócio (que me recuso a chamar de programa) estão dando e darão muito mais o que falar quer eles queiram, quer não. Há um lado muito positivo nisto tudo: Você que assistiu a muitos trabalhos desses profissionais, como personagens em novelas, programas de humor e outras apresentações públicas, imaginava tamanha pobreza de espírito? Falta de respeito para com colegas do meio, fofocas, declarações preconceituosas? Se você se decepcionou tanto quanto eu e milhares de outras pessoas, perdoe, eles estão velhos, é o processo do declínio, só não precisava ser tão baixo nem estarem tão desavisados. Ao vivo é outra coisa e eles são muito corajosos de estarem se expondo desta maneira, ou pelo contrário “se acham” assim, fica mais complicado, pois bate em uma vaidade idiota de quem vive em seu mundinho interior babaca e não tira proveito das evidências.

SARAIVA13 disse...

Edna,
Excelente comentário. Parabéns!
Tenha uma ótima noite.
Abraços,
Saraiva