domingo, 31 de agosto de 2014

Marina vai se ajoelhar para Malafaia?


Por Altamiro Borges

A tentativa de Marina Silva de pairar acima das divergências e de agradar a todos, como reza a sua cartilha da “nova política”, promete dar muita dor de cabeça à presidenciável e ao seu partido-carona, o PSB. Nesta sexta-feira (29), a sigla divulgou a sua plataforma eleitoral – redigida por Neca Setubal, uma das herdeiras do Banco Itaú. O programa tem inúmeras lacunas e retrocessos, mas um tema gerou imediata reação. No item sobre os direitos dos homossexuais, ele se comprometia com sensíveis avanços. Mas diante da gritaria histérica do pastor Silas Malafaia, que havia sinalizado dar apoio a também evangélica Marina Silva, a candidata logo vacilou nas propostas e prometeu rever o programa.
“Irado, possuído e desvairado”, como registrou o blogueiro Paulo Nogueira, o pastor homofóbico afirmou em sua conta no Twitter que se sentia traído e que iria rever seu apoio na disputa presidencial. Para ele, são inadmissíveis as ideias, contidas no programa do PSB, de reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo, do direito à adoção de crianças por casais gays e da criminalização da homofobia. O alvo principal do ódio fundamentalista foi o projeto de lei número 122, que criminaliza a homofobia. “A coisa mais vergonhosa é querer trazer de volta o PLC-122. Levamos setes anos para derrotar esse lixo moral. Absurdo!”, esbravejou Silas Malafaia.

Em nota oficial, Marina Silva logo fez questão de se justificar – e de se ajoelhar – diante do temido “pastor”, temendo os impactos negativos entre os milhões de eleitores evangélicos. Afirmou que o programa ainda está em processo de elaboração. Mesmo assim, ela reafirmou alguns pontos essenciais do programa. Nova bronca de Silas Malafaia: “Marina pensa que o povo de Deus é idiota. Corrigiu palavras, mas a essência é a mesma. Pior, cheia de subjetividades”. E ele ainda ameaçou: “Se Marina não se posicionar até segunda, na terça será a mais dura e contundente fala que já dei até hoje sobre um candidato a presidente”. Como se comportará a candidata da “nova política” e dos sonháticos?

Para o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), a principal referência do movimento LGBT no Congresso Nacional, a postura acovardada de Marina Silva confirma que ela não tem a menor condição de ser presidente do Brasil. Num texto incisivo postado em sua conta no Facebook, ele tirou a máscara da candidata-carona. “Marina, você não merece a confiança do povo brasileiro! Você mentiu a todos nós e brincou com a esperança de milhões de pessoas”. Vale conferir a íntegra do seu artigo:

Um comentário:

Jose Marcio Tavares disse...

Será que ela vai fazer como o candidato do PT a governador do RJ?http://portugues.christianpost.com/news/lindbergh-farias-sai-em-defesa-do-pastor-silas-malafaia-ninguem-vai-me-afastar-do-pastor-silas-18550/