sexta-feira, 18 de julho de 2014

Datafolha se embanana outra vez. Erro grosseiro de 12 pontos no 2o. turno para turbinar Aécio.


Na pesquisa de intenções de votos do Datafolha divulgada ontem, o jornal Folha de São Paulo ficou até com vergonha de colocar no gráfico do segundo turno o percentual do votos brancos/nulo/não sabe.

Isso porque tem um erro grosseiro de 12 pontos percentuais, o que invalida totalmente a pesquisa como referência (serve apenas de isca para tubarões caçarem sardinhas na Bolsa de Valores).

Na pergunta sobre primeiro turno 27% a 28% (o Datafolha não divulga as casas decimais) declararam votar nulo/branco/nenhum/não sei.

Na pergunta em seguida, sobre segundo turno, magicamente este número caiu para 16%. Coisa praticamente impossível de acontecer na vida real das urnas.

As pesquisas, como estatística, devem tentar reproduzir uma amostra do que aconteceria na população toda. Quem diz que não votaria em nenhum dos onze candidatos mostrados na pergunta do primeiro turno, também não votaria em dois destes mesmos nomes, se perguntados no mesmo momento. Respostas diferentes disso não tem valor científico.

Quem vota em um candidato que não passa para o segundo turno, pode mudar seu voto para outro candidato ou não votar em nenhum dos dois, mas quem rejeita todos desde o início do processo eleitoral costuma continuar rejeitando dois dos mesmos nomes no segundo turno.

Por isso, dificilmente os votos úteis no segundo turno seriam significativamente maiores do que no primeiro turno. Em geral votações ligeiramente maiores no segundo turno só ocorre quando há algum motivo, como enchentes, feriadão, que provoque abstenção maior no primeiro turno, ou alguma comoção política por algum candidato entre o primeiro e o segundo turno. Nada disso acontece no intervalo de minuto entre duas perguntas na pesquisa.

Então se Dilma tem 36% e a soma dos outros candidatos tem 36% , os votos válidos no primeiro turno dão 72%. Na sondagem de segundo turno o Datafolha deveria ter encontrado um número próximo disso. Entretanto aponta 44% para Dilma e 40% para Aécio, totalizando 84%, ou seja, 12 pontos a mais de votos válidos, no intervalo de uma pergunta e outra.

Para piorar, se na hipótese absurda de todos que disseram votar em Campos, no Pastor Everaldo, no PSTU, no PSOL, no PCO, no Eymael, no primeiro turno votassem em Aécio no segundo, o tucano somaria 36%. O Datafolha tirou da cartola mais 4% de nulos e indecisos para fazer Aécio chegar a 40%.

Dá para acreditar? É melhor daqui por diante o Datafolha dizer que, pela sua metodologia, a margem de erro é uns 12 pontos para mais no caso do tucano e para menos no caso de Dilma.

2 comentários:

marcosreis aurelio disse...

isso ja era de se esperar o datafolha nunca fez uma pesquisa séria e competente, sem usou da malandragem de ir derrubando a Dilma para influenciar o eleitorado. póis a intençao deles é justamente fazer o eleitor pensar que ela ja esta perdida e nao votar nela. essa ´é a estrategia deles. AGORA PERGUNTAMOS PORQUE AECIO SUBIRIA 12% DE UMA NOITE PARA DIA. QUANDO TODAS AS PESQUISAS MOSTRAM QUE ELE ESTACIONOU. NAO SAI DE 20 NO MAXIMO 22% O NOME DISSO SE CHAMA - M A N I P´U L A Ç A O

João Luiz Marcelino disse...

Perfeita sua observação Saraiva.
É possível alguém não saber em quem vai votar no 1o turno, mas cravar Aécio no segundo turno?. É ofensa a nossa inteligencia.
Ou seja:
1o. T branco/nulo/indeciso = 28%

2o. T branco/nulo/indeciso = 16%

Logo podemos cravar que essa diferença de 12% vão para o Aécio?.

É uma dedução teratológica.
Que falta de vergonha na cara
Abração
João Luiz