domingo, 13 de julho de 2014

REVISTA VEJA AGONIZA - MORRE TORPE E TESA MAS NÃO PERDE A POSE

A REVISTA VEJA CONTINUA EM SEU FRANCO DECLÍNIO


Quando tudo ia bem, a Revista surfou nas vitórias da seleção, produziu capa com chamamento à 'raça' e exaltava DAVID LUIZ como herói. Com a derrota do time para a Alemanha, a revista volta ao seu padrão original, e tenta jogar nas costas de Dilma uma rebarba pelo que a seleção brasileira não fez dentro de campo.
Aliás, não só a VEJA, a Editora ABRIL vai mal das pernas. Demitiram muitos profissionais, encerraram a circulação de várias REVISTAS, perderam diversas ações na JUSTIÇA por calúnias publicadas. A ABRIL só respira ainda, e por aparelhos, graças ao oxigênio de algumas fusões e parcerias editoriais e promocionais que fez. Só não morreu mesmo por que o governo de São Paulo continua fazendo transfusão de recursos públicos para ela, comprando calhamaços de suas revistas, cujos exemplares vão para o lixo, muitos deles, sem nem saírem dos amarrados em que foram entregues.

O DECLÍNIO da VEJA era previsto, não só pelas mudanças no mundo da MÍDIA, onde se observa a perda de importância do tipo REVISTAS, visto que, com publicação SEMANAL, não conseguem acompanhar a velocidade fulminante de circulação da informação e da notícia.

VEJA perdeu espaço também, quando se comprovou no caso de CARLOS CACHOEIRA - DEMÓSTENES TORRES - e a quadrilha de ARAPONGAS, que o seu "jornalismo investigativo" era abastecido por bandidos, que negociavam até espaço na REVISTA. Com a quadrilha desbaratada, VEJA perdeu a "fonte' que lhe alimentava de conteúdo para matérias BOMBÁSTICAS, porém, em sua maioria, MENTIROSAS  ou simplesmente MANIPULADAS e TENDENCIOSAS.

Alguns articulistas e jornalistas, que fazem o tipo CÃO RAIVOSO, ainda conseguem sustentar a audiência da REVISTA em sua publicação na INTERNET. Observa-se, porém, aí, o mesmo fenômeno da publicação de papel. A cada dia, alguns desses que assinam coluna na VEJA, vão mais fundo em seus ataques, perdendo totalmente a razão e o pouco de bom senso que ainda tinham. O descrédito e falta de importância de suas opiniões só faz crescer. Restam-lhes os leitores raivosos, cheios de ódio, que não ponderam o que escrevem. Ainda que numerosos, antes cabiam numa Kombi, agora se acomodam bem dentro de um FUSCA.

Apesar de "estribuchar" e da decadência notória, a Revista tenta ainda vez por outra, dar uma estocada no seu inimigo, que é o governo do PT / Dilma, como foi antes o governo de Lula. 

TOLO, INOCENTE, DESINFORMADO ou MAU CARÁTER, quem acredita que VEJA tenha compromisso com o combate à CORRUPÇÃO ou com a DEMOCRACIA. Veja tem LADO, tem PARTIDO, e tem como objetivo defender o conservadorismo e o atraso, quer o retrocesso da volta do PSDB ao governo, e se coloca sempre em posição contrária a todas as políticas públicas de interesse do povo brasileiro. 

Tentando SURFAR na derrota da seleção brasileira para a Alemanha e, portanto, fora da decisão da COPA DO MUNDO, a revista busca apresentar desdobramentos disso para cima da presidente Dilma, querendo passar a mensagem de que "SOBROU PARA ELA". Ou seja, a revista dá força ao discurso de que, a seleção de FELIPÃO perdeu dentro de campo, e isso afeta a reeleição de Dilma nas próximas eleições.

Mas, o absurdo mesmo, é uma tal "PESQUISA" por telefone, que a REVISTA diz ter sido feita, e que apontou o seguinte resultado: Para cada gol sofrido pela seleção contra a ALEMANHA, Dilma e seu governo perderam um ponto de avaliação positiva. AH ! PÓ PARÁ ! 

OLHA SÓ A CHAMADA !
A candidata em campo

"Quando tudo ia bem, a presidente Dilma Rousseff pegou carona no carisma dos craques da seleção. Com a humilhante derrota para os alemães, a presidente-torcedora voltou ao papel de gestora. A estratégia vai colar? Reportagem de VEJA desta semana ouviu a opinião de dez analistas e revela o resultado de uma pesquisa telefônica feita nas 24 horas seguintes ao vexame: cada gol alemão reduziu em 1 ponto porcentual a avaliação positiva do governo".
A esta altura, quem acredita na VEJA e na "pesquisa" feita por telefone. Quanto tempo será, que uma revista que faz esse tipo de jornalismo ainda vai conseguir circular ?

Um comentário:

rogi Mac disse...

Muito bom comentário. Quando é o PT, ataques parciais, quando é o PSDB ou até o PMDB, uma pequena antítese antes para tecer elogios depois. Vide a capa mais recente da veja que observei num supermercado hoje 22/12/16. Dá nojo pelos 2 pesos e 2 medidas.