domingo, 6 de julho de 2014

ANALFABETISMO É UMA VERGONHA NACIONAL...NA ALEMANHA


DESAFIO DE NAÇÃO DESENVOLVIDA - 7,5 milhões de adultos não sabem ler nem escrever

Um sistema educacional excludente, que ignora os portadores de necessidades especiais ou as crianças que passam por período de grande problema, inclusive com separação entre os pais, e acabam faltando às aulas ou tendo o aproveitamento comprometido, deságua em milhões delas não se alfabetizando no tempo previsto. Estas crianças acabam ficando para trás, sem que o sistema educacional alemão lhes dê em tempo apropriado possibilidade de recuperação. 
Dificuldades econômicas afetam também as famílias da Alemanha, que nem sempre podem recorrer às aulas de um professor/explicador particular. O ALARMANTE resultado disso é que a Alemanha, uma nação tida como desenvolvida, possui aproximadamente 7,5 MILHÕES de ADULTOS ANALFABETOS.

Essa massa humana acaba, curiosamente, encontrando emprego de forma muito mais fácil do que outros com ALTO GRAU DE INSTRUÇÃO. É que a RICA NAÇÃO DA EUROPA, tem necessidade de gente com BAIXA QUALIFICAÇÃO para preencher vagas de trabalho em empregos de baixa complexidade. Do outro lado, para quem se QUALIFICA, faltam empregos.

Post com base em informações de O Globo - Matéria de 06/07/2014 - Pág. 42
Alemanha enfrenta a praga invisível do analfabetismo
Autoria: Graça Magalhães - Correspondente

=======================================================================
É para refletir.
Segundo o Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2012, o Brasil tem 13,2 milhões de analfabetos com 15 anos ou mais. Nossa população é de aproximadamente 200 milhões de habitantes.
A Alemanha tem uma população estimada em 82 MILHÕES de habitantes e 7,5 MILHÕES deles são analfabetos.

3 comentários:

Marcelo Marques disse...

Basta ler o que escrevem nos comentários e posts dos inúmeros sites, blogs e redes de relacionamentos da internet para perceber que 6,6% de analfabetismo soa como piada. Arrisco dizer que mais de 50% dos hoje universitários não escrevem direito, não conseguem se expressar nem interpretar um texto. E são a nata.

Ismael Santana Bastos disse...

Nem vou por em dúvida esta estatística, deve ser verdadeira mesmo, mas, é bom lembrarmos que, a Alemanha foi dividida em duas após a segunda guerra mundial.Quando da queda do muro da vergonha, que foi erguido pela Rússia, o estado de miséria do lado comunista, o estado da população era catastrófico, e a esmagadora maioria vivia em condições sub humanas, alijados de saúde, educação..., como em todo regime comunista, esta é a grande verdade!

julio disse...

Impressiona-me sobremaneira alguns querendo dar lição de educação à Alemanha. País de analfabetos ou analfabetos funcionais exercendo cargos na política e no governo não tem credencial para se assanhar.
No concerto das nações qual é a posição do Brasil em relação à Alemanha? Até no futebol atual a Alemanha é massacrante: 7 a 1.
O Brasil, negativamente, é diferente da Alemanha: (1) não tem escola gratuita para todos. A maioria de suas escolas públicas é de péssima qualidade em tudo; (2) na Alemanha o analfabeto ainda encontra emprego, no Brasil, não; (3) na Alemanha, diferente do Brasil, só não estuda quem não quiser; (4) na Alemanha uma em cada sete crianças deixa a escola sem aprender a ler e escrever por livre e espontânea vontade. No Brasil, o cidadão quer estudar e não há escola, e quando existe, como na zona rural ou no interior do país, é escola sucateada, sem infraestrutura, sem professor habilitado, sem merenda escolar e até sem banheiro, cujas necessidades são feitas no mato; (5) no Brasil a escola diploma um contingente de analfabetos funcionais, os quais vão ser políticos e outros, pelas leis de cotas, vão ser “dotores”.
Vamos valar sério. A Alemanha já foi destroçada por guerras e ressurgiu das cinzas, e hoje é a quarta economia do mundo. Contrariando a “Dilmona”, como existe vira-lata com complexo de Primeiro Mundo!